Arquivo

Posts Tagged ‘Nissan’

Continua a dúvida: pôneis vendem mesmo?

setembro 13, 2011 3 comentários

No final da semana passada, a Nissan divulgou alguns dados de vendas dos seus carros de um ano para cá.
E muitas pessoas me mandaram os links das notícias, já que eu havia colocado em dúvida a efetividade do comercial dos Pôneis Malditos.

Diversas notícias foram lançadas: aqui, aqui e aqui.

É nítida a intenção de mostrar como os pôneis fizeram o resultado das vendas explodirem depois de anunciados!
Mas peraí! O comparativo de crescimento que está sendo feito é de 1 ano pra cá! É muito factível que as vendas tenham aumentado em um ano, com a economia aquecida, os juros pros carros caindo e tudo mais…
O comercial dos pôneis foi lançado no final de julho deste ano, porque não mostrar um comparativo de vendas dos últimos 3 meses?
É claro que a tendência é as vendas aumentarem de um ano pra cá, já que a montadora vem fazendo um forte trabalho de marca.

Continuo cético em relação à efetividade deste comercial. A hora que me mostrarem um crescimento nítido em vendas do final de julho pra cá, da Frontier, eu acredito… Se alguém achar esses dados recentes, eu aceito! =)

E, pra finalizar o assunto. Essa história de que o Mc Donald’s se aproveitou da polêmica do comercial para lançar os brindes do Mc Lanche Feliz da marca My Little Pony, da gigante de brinquedos Hasbro, é brincadeira, né? (como diria o Neto) Ninguém aí sabe que os brinquedinhos do Mc são feitos na China? Que tem prazos para produção e importação? Que a Hasbro, detentora da marca dos pequenos pôneis, não ia querer vincular seus brinquedos a esse caso, já que a Nissan está “zoando” com os bichinhos? É tanta especulação e notícia bizarra, que vou te contar….

Pôneis são vendedores?

setembro 1, 2011 2 comentários

Há semanas não se vê uma roda de conversa que não tenha alguém cantarolando ou citando a música dos pôneis malditos, do comercial mais recente da Nissan no Brasil.
Sei que já é o terceiro ou quarto post em que falo da Nissan aqui, mas é um sinal que eles estão mesmo incomodando e aparecendo no mercado automobilístico e publicitário do país.

Porém, uma dúvida que apareceu na última aula que acompanhei semana passada na Cásper Líbero, foi se essa campanha teve impacto direto nas vendas da montadora.
Muitos alunos apostando que houve aumento nas vendas e no conhecimento da marca (brand awareness) Nissan. Quando perguntamos pra sala se alguém lembrava do nome do carro que estava sendo anunciado, só 1 aluno soube responder Frontier.

Ao meu ver, seria interessante a Nissan continuar com a campanha expandindo para o marketing direto, com o intuito de aproveitar o buzz gerado pelo comercial e tentar transformar aquilo diretamente em vendas ou interesse do consumidor em ir até a loja. Mas até onde minha pesquisa pôde ir, parece que não foi realizado nada nesta área, o que acho um grande desperdício. (se alguém souber de algo que rolou nesta linha, por favor, me avise que irei mais a fundo ainda!!)

É claro que pensando a longo prazo, a estratégia atual da marca pode trazer resultados satisfatórios em questão de lembrança de marca e consideração na hora do consumidor escolher o seu próximo carro. Porém, será que as equipes de vendas e produção estão concordando com essa onda de comerciais “descolados”, se eles não estiverem vendendo mais, nem atingindo suas metas? Realmente eu não tive acesso ao resultado de vendas (pesquisei bastante, juro!), mas o pouco que achei na internet é que a Nissan não está divulgando seus últimos relatórios de vendas, somente citando que a estratégia está dando certo.

Enfim, o que vocês acham? Será que realmente esse tipo de campanha vai impactar no resultado de vendas e na percepção de qualidade da marca por parte dos clientes?
Ou será que os únicos números encontrados a respeito da campanha serão milhões de views no Youtube, dezenas de paródias de todos os tipos, milhares de menções no twitter, comunidades no Orkut e Facebook, e posts desconfiados como este?

Para quem quer curtir e ficar com a música na cabeça por mais 3 dias, pode rever o comercial aqui:

Buzz é o que importa?

março 3, 2011 2 comentários

Esta semana teve 3 grandes destaques no quesito buzz no Brasil: o novo comercial da Nissan, a escolha da Sandy como nova garota propaganda da Devassa, e o lançamento do iPad 2. Resumindo em 1 palavra, eu classificaria a repercussão na mídia de cada episódio assim:

– Nissan: negativa
– Sandy/Devassa: surpresa
– iPad 2: positiva

Agora digo porque.

Muito se fala hoje em dia em buzz, em gerar mídia espontânea, fazer barulho nas mídias sociais etc. Porém, ao contrário do que muitos pensam, o buzz ser negativo ou positivo faz diferença, sim.

No caso da Nissan, vi muita gente achar o vídeo engraçado e muita gente criticá-lo. Claro que gerou muuuita “falação” sobre a Nissan nestes dias, mas a maioria das vezes (pelo que pude ver), os comentários eram negativos. E isso não é legal. Gerou o buzz, ok. Mas na maioria das pessoas vem à cabeça o lado negativo do comercial, portanto, ao meu ver, esse tipo de buzz não é interessante.

Sobre a Devassa, acho que o buzz foi positivo no geral. A repercussão vista nas redes sociais e mídia no dia do anúncio da Sandy como garota propaganda da cerveja foi imensa. Todo mundo falando bem? Não. Os que não falavam bem, falavam mal? Também não. A maioria dos comentários que se viam, eram piadinhas e brincadeiras a respeito da Sandy ainda ter aquele estereótipo de menina, da garotinha virgem, etc. Ao meu ver, apesar disso, todo mundo ouviu falar da marca, muita gente entendeu o reposicionamento da marca e outros simplesmente ouviram falar da Devassa e ficaram com isso na cabeça, sem criar uma imagem negativa. O @EricMessa fez uma análise que achei excelente a respeito deste caso, quem quiser ler mais a respeito: http://bit.ly/fgJbhC.

E sobre o iPad 2…sou suspeito pra falar das coisas que a Apple faz. Sou admirador mesmo. E não, não tenho só produtos Apple, não tenho adesivo da maçã colada no meu carro, e não choraria ao apertar a mão do Steve Jobs. Mas tenho que reconhecer o excelente trabalho que é feito pela empresa. Resumindo, a Apple inventou um novo produto, criou uma necessidade que até então não existia para os consumidores, e viu (mais uma vez) um monte de fabricante de tecnologia correndo atrás do seu rabo para copiar o seu produto, ao invés de criar algo novo. Alguns destes, conseguiram colocar algumas features que o iPad (1, o velho!!!) não tinha e talvez ganharam alguns adeptos devido a estas (poucas) vantagens. Mas agora, pouco tempo depois, a Apple corrigiu seus “erros”, voltou com um iPad ainda mais fino, mais rápido, com 2 câmeras, e tudo mais que vocês viram por aí. Pra mim, game over. Buzz muito positivo.

Então é isso. Com este texto, só quis mostrar para vocês como simplesmente gerar buzz não é o mais importante, e que nem sempre ele é gerado de forma positiva. Estar na cabeça do povo por algo ruim não é legal.

Para as marcas, o velho ditado “falem bem, falem mal, mas falem de mim!” não serve.

Abraços.

p.s.: Percebi, ao visualizar o post antes de publicar para fazer a revisão, que olhando a imagem que montei com as fotos dos 3 assuntos, a imagem respectiva à Nissan, só mostra o logo da Ford. Ou seja, se alguém da China for ler meu post e não entender nada de português, vai assimilar 3 marcas: Ford, Devassa e Apple. Sem mais.

Nissan e suas polêmicas

março 1, 2011 6 comentários

Está todo mundo falando do novo comercial da Nissan que está (ou estava até ontem, se o Conar já não tirou do ar) sendo veiculado desde sábado. E de tanto que estão falando, resolvi fugir da rotina do post de quinta para falar dele. Antes da minha análise, segue o vídeo para quem ainda não viu:

Sem dúvida o comercial gerou o buzz esperado no mercado e fez sua parte de comunicação para a Nissan. Porém, apesar de ser divertido e caricato, acho que foi um pouco desnecessário. Primeiro, porque achei o motivo que eles colocaram neste comercial meio “bobo”, de mostrar os engenheiros da Ford cheios de dinheiro e tal…é a mesma coisa que falar que porque aumentou o preço do pão francês, a menina do caixa da padaria vai ficar rica!

Além disso, o filme mostra tanto o Focus que eu nem sei se seria a melhor estratégia, já que particularmente acho o Focus muito mais bonito que o Tiida (mostrado apenas em alguns segundos no final). Além disso, sua marca pretende conquistar o consumidor do concorrente falando que ele foi idiota ao comprar o outro carro? Acho ofensivo demais.

Achei os comerciais do ano passado mais engraçados, menos ofensivos e mais inteligentes. Para quem não viu, aqui estão os vídeos.

 

 

 

Este da Frontier, eu achei demais:


É isso. E você, o que achou? Me conte, comente aqui.